Inglaterra: Um final de semana em Londres e tudo que você pode conhecer em 48 horas



Nesta semana, o Blog da NCI Intercâmbio embarca para Londres. E quando eu digo embarca, eu digo literalmente, já que eu, quem vos escreve neste momento, estive em Londres recentemente e vou usar este espaço para compartilhar a minha primeira viagem durante o meu intercâmbio. O que eu quero com o texto é mostrar que dá para conciliar a vida de estudante/trabalhador part-time com pequenas viagens.


Para começar, vou me apresentar para você, leitor. Meu nome é Joyce, como você pode ver na minha assinatura, tenho 30 anos, sou jornalista formada e talvez o que ninguém saiba é que eu sou mais uma das clientes satisfeitas da NCI. Eu me mudei para a encantadora Galway, no interior da Irlanda, no finalzinho de junho com o auxílio da agência e desde então estou contribuindo para o blog.


É legal dizer que quando você faz intercâmbio na Europa uma das várias vantagens é a facilidade de viagens, seja pela zona do Euro, pelas passagens baratas ou até mesmo pela pequena distância que separa um país do outro. É muito fácil fazer as malas e partir para um final de semana inesquecível.


A minha viagem começou como a de vários dos meus colegas de classe, uma amiga da faculdade vinha me visitar e queria conhecer Londres. Para nós duas não haveria lugar melhor, já que nossa amizade começou pelos Beatles e ambas somos apaixonadas pela banda.


Como eu estudo a tarde na Bridge Mills, às sextas não temos aulas - uma outra brecha para conseguir um tempinho livre. Sem escola, a parte difícil é conseguir as folgas no trabalho. Quem vive e trabalha na Irlanda pode garantir que esta é a parte mais fácil, já que é muito simples ter dias offs. No meu caso, eu só precisei conversar uma semana antes com a minha supervisora e já estava fechado.


Galway não tem aeroporto, por isso para viagens é necessário ir até Dublin. Nada doloroso, três horas em um ônibus confortável e chegamos no destino. Para uma garota de São Paulo como eu, isso se chama chegar do Centro da cidade até em casa, na Zona Sul, em uma quinta pré-feriado. Decidimos, então, passar a tarde em Dublin para conhecer um pouquinho da capital Irlandesa.


Nossa primeira parada foi na Trinity College Library, fundada em 1592. A biblioteca é a maior da Irlanda e conta com mais de 4,5 milhões de livros. O local é histórico, lindo e para quem gosta de bibliotecas é um prato cheio, uma pena que não podemos tocar nos livros. A vantagem é que havia uma exposição posterior a biblioteca e nós passamos por ela.


Segunda parada: Dublin Castle. Um outro prédio histórico e sua inauguração data de 1204. O local é bem bonito por fora, bem conservado e não deixa de ser impressionante conhecer um castelo de verdade. Infelizmente, nenhum fantasma foi visto durante o passeio.


Fizemos pouco turismo em Dublin, isso porque acordamos tarde e chegamos tarde na cidade - falha nossa, tinha muita coisa para ver. Mas o nosso alvo era mesmo a terra da Rainha, por isso partimos para Londres. Nossa chegada foi no sábado às 8h da manhã e como a agenda estava cheia, não dava para perder tempo.


Eu, particularmente, tenho um problema em planejar coisas, por isso, dou o nome de viagem espontânea para disfarçar. Nesta espontaneidade, esqueci de reservar o hostel, porém nada que o Google não possa te ajudar. Encontramos um perto do metrô (guardem esta informação, ela vai ser importante) e reservamos na hora.


Em menos de uma hora da chegada, já estávamos no metrô; um passe para o dia todo custa 13 libras e garante muitos rolês. Da nossa estação fomos até a primeira atração londrina, o Natural History Museum. Acho que neste momento você deve ter percebido que além de fãs dos Beatles, minha amiga e eu também somos nerds. O Museu é de tirar o fôlego, começa pela entrada com o esqueleto de uma baleia azul de 25 metros pendurado no teto. À direita há o fóssil do dinossauro mais completo já encontrado no Reino Unido, ele data de 122-129 milhões de anos. Gastamos quatro horas desbravando este museu e valeu cada momento. O visitante é convidado a conhecer e ver um pouco mais sobre a evolução de cada espécie, inclusive a nossa.


Segunda parada do dia: London Eye, Big Bang e Parlamento. Infelizmente o Big Bang está em reforma até 2021 e a única coisa que é possível ver é o relógio central, mas isso não tira o encanto do local ao redor. Chegando na London Eye, o visitante tem diversas opções de entretenimento, como o famoso museu de cera o aquário de Londres e o melhor: as atrações podem ser adquiridas em combos, deixando o passeio cada vez mais barato.


Na praça do parlamento podemos encontrar a recém inaugurada estátua dedicada a sufragista Millicent Garrett Fawcett. A estátua é a primeira de uma mulher na praça do parlamento, além disso ela também foi esculpida por uma mulher e é bastante significativa para a luta de igualdade. Fawcett carrega uma placa com os dizeres “Courage calls courage everywhere” (“Coragem chama coragem em todos os lugares”, em tradução livre).


Agora o momento mais turista de todos: foto na cabine telefônica vermelha e continuamos para a Tower Bridge. A impressionante estrutura da ponte te faz querer ficar horas olhando, o local é repleto de turistas encantados e nós não fomos diferentes, sentamos até ver a ponte se iluminar e só aí saímos de lá.


O dia ainda não acabou, dá tempo de passar na Oxford Street e comprar umas roupinhas. A rua cheia de lojas e vitrines super descoladas chamou nossa atenção também. Acabamos na Pennys (famosa loja irlandesa com preços super em conta) e na Forever 21, mesmo. E para fechar a noite, uma pint de Guinness no hostel e o planejamento para o dia seguinte.


Dia 2, acordamos mais cedo e às 8 horas já estávamos no nosso bom e conhecido metrô londrino. Às 8h15 chegamos a famosa Abbey Road, para quem não sabe, a rua é o cenário de uma das capas mais famosas de um dos álbuns dos Beatles, de mesmo nome. Atravessamos a rua, fizemos várias fotos e como o cruzamento é monitorado por vídeo ao vivo, disponível na internet, eu obriguei meu namorado a gravar de casa nossa travessia. Logo depois, time to buy souvenirs, dos Beatles, é claro.


A segunda parada foi a 221b Baker Street, lar do detetive mais famoso da história. Depois de trocar algumas ideias com Sherlock Holmes, voltamos aos Beatles, desta vez o endereço é 3 Savile Row, telhado que foi local do último show da banda.

Saindo de uma obsessão para outra, que tal uma passadinha na plataforma 9 ¾ na King’s Cross? O local nos foi apresentado durante o primeiro Harry Potter e é a porta de entrada para o trem que leva a Hogwarts.



Para finalizar o passeio, nada melhor do que um chá com a Rainha. O Palácio de Buckingham, residência oficial da realeza inglesa, foi nossa última parada. O gigante prédio com seus portões dourados atraem multidões e é lá que é possível ver a troca da guarda real, porém a rainha não passa os finais de semana no local, ou seja, sem rainha, sem troca da guarda. Mesmo assim, o local por si só é uma atração à parte.


De volta para casa e para o dia a dia - que nem é tão sofrido assim - na segunda eu já estava em Galway e na escola de novo.


Eae o que vocês acharam da minha pequena aventura? Gostaram? Deu vontade de fazer o mesmo?? Essas viagens são bem possíveis durante o intercâmbio. Entre em contato com a NCI e peça seu orçamento. Pode ser para a charmosa Galway ou para a badalada Londres, a decisão é sua! Seja qual for a sua escolha será sempre possível visitar a outra cidade. Vem com a gente!

Por Joyce Silva

#intercâmbio #nciintercambio #estudarfora #estudante #intercambista #londres #inglaterra

Encontrou algum erro? Por favor contate: info@nciintercambio.com

© 2019 por NCI Intercâmbio.  Todos os direitos reservados a NCI Intercâmbio.  CRO 611045