Halloween: Conheça a história, tradições e os símbolos dessa celebração popular

Atualizado: 4 de Dez de 2018



Experimentar e conhecer uma nova cultura é uma parte crucial para o intercâmbio. E para nós, brasileiros, participar pela primeira vez da festa que passamos a vida inteira vendo nos filmes e séries, pode ser ainda mais empolgante. Sim, estamos falando do Halloween.


Para quem não sabe, os historiadores acreditam que o Halloween surgiu há mais de 3 mil anos atrás, por volta do ano V antes de Cristo. E a história do festival não começa com doces ou crianças fantasiadas, pelo contrário, ela pode ser até um pouco assustadora, mas é aí que está a graça da celebração.


No dia 31 de outubro, os Celtas (nativos originários da Irlanda) celebravam o Samhain, que era uma mistura de comemoração ao final do verão e começo do inverno, com a virada do ano Celta, já que o calendário do povo começa dia 1 de novembro. Para os Celtas o ano se dividia em apenas duas estações: verão (lighter) e inverno (darker) e o início e final de cada uma delas eram comemorados com celebrações que duravam três dias.


A tradição dizia que, durante a noite de 31 de outubro, os espíritos dos mortos voltavam ao mundo físico e poderiam se apoderar dos corpos dos vivos, por isso, eram usadas fantasias e diversos adereços assustadores para espantar e confundir estes espíritos. Há também uma possibilidade menos assustadora, nela os espíritos voltavam apenas para visitar suas casas e entes queridos, se alimentarem e se aquecerem perto do fogo.


O que ambas as histórias têm em comum é a explicação de como os nativos se comportavam na data. De acordo com os relatos, as famílias se reuniam e preparavam comidas para os vivos e para os mortos e deixavam as casas aquecidas com o fogo das lareiras. As alternativas não podem ser 100% negadas ou confirmadas, pois não há relatos escritos sobre o Halloween, a tradição continuada apenas pelo povo que continua comemorando a data até o presente.


A história começa a mudar um pouco com a chegada dos católicos, como a festa é considerada pagã para a religião, os católicos começaram a implantar medidas para tentar afastar as festividades dos fiéis e passaram a condenar a comemoração. Com a idade média e a perseguição às bruxas, o dia 31 também passa a ser conhecido como dia das bruxas, outra vez pela conotação pagã inserida.


Outra tentativa da igreja em ofuscar a festa é a mudança da sua  celebração do Dia de todos os santos, que passa de 13 de maio para 1 de novembro. Logo em seguida, no dia 2, outra data comemorativa católica é inserida no calendário, desta vez, se comemora o dia dos mortos ou dia das almas.


A estratégia católica não funcionou muito bem, o Samhain mudou de nome e passou a se chamar Halloween, que significa Santo (Hallow) e Véspera (Eve). Com isso a festa se popularizou, ganhou mais força e se espalhou por todo o mundo, muito disso por conta da colonização Inglesa em diversos países.


Os Estados Unidos são os maiores responsáveis pela disseminação da festa no mundo. As comemorações foram incluídas em diversos filmes e séries, tornando países que não comemoravam a data, cada vez mais curiosos em saber a respeito das celebrações.

Acredita-se que a tradição do Halloween chegou à terra do Tio Sam devido aos milhares de imigrantes Irlandeses que se mudaram para o país durante o século XIX. Daí a festa passa a ser em grande parte voltada para as crianças, que passam a se fantasiar e pedir doces pelas vizinhanças com a famosa frase “trick or treat” (em português traduzida como “doces ou travessuras”). Mas os adultos não ficam de fora, na noite de Halloween é muito comum se fantasiar e comemorar a data em festas ou até mesmo em pubs pelas cidades.


Outra característica marcante da data são os símbolos que representam a festa, o mais conhecido é o famoso Jack O’Lantern  (ou Jack Lanterna em português). Na história tradicional irlandesa, a abóbora na verdade é um nabo, porém por ser época de colheita de abóboras nos Estados Unidos, a lenda passou por uma adaptação. De acordo com a lenda, Jack era um alcoólatra que na noite do dia 31 de outubro acabou bebendo demais e morrendo, por ser muito esperto, Jack consegue enganar o diabo e escapar do inferno, no entanto, sua entrada também não é permitida no céu. Para impedir que seu espírito vague no limbo sem luz, Jack usa um nabo para manter uma chama acesa, por esse motivo as esculturas em nabo, que passaram a ser abóbora, são conhecidas como Jack Lanterna.

O pedido de doces das crianças também pode ser associado à tradição Celta, já que na noite do Samhain as mulheres cozinhavam um bolo para entregar para as almas que passassem.


O Halloween começa a dar a cara nas cidades muito antes da data, já no meio de setembro é possível encontrar decorações, fantasias e os doces mais ‘macabros’ começam a ser vendidos. Para os mais entusiasmados, o mês de outubro pode ser repleto de festas a fantasia e comemorações diversas.


Bastante história não é? Está curioso para comemorar o começo do inverno com os Celtas? Ou quem sabe proteger sua alma usando a fantasia mais assustadora que você conseguir encontrar? Ou até mesmo voltar a ser criança e sair por aí pedindo doces? A NCI Intercâmbio oferece os destinos Irlanda, Inglaterra e Estados Unidos e, em qualquer um dos três, você poderá viver essa experiência com a maior diversão possível. Não perca tempo!! Vem com a gente!

Por Joyce Silva

#nciintercambio #intercâmbio #cultura #halloween #festa #festadehalloween #intercambionainglaterra #intercambioirlanda  #intercambioestadosunidos

Encontrou algum erro? Por favor contate: info@nciintercambio.com

© 2019 por NCI Intercâmbio.  Todos os direitos reservados a NCI Intercâmbio.  CRO 611045