Intercambista combina a paixão pelo Volleyball com o aprendizado de um novo idioma na Irlanda


Quando falamos em mudar de país para aprender uma língua nova é preciso pesar todos os prós e contras, o que te faz feliz, seus hobbies e necessidades. Algumas vezes pensamos que temos que deixar muitas coisas de lado para viver em outro lugar, mas será que é preciso deixar tudo para trás mesmo?


Hoje, o Blog da NCI intercâmbio conta a história do Breno, que desde criança é apaixonado por Voleibol e achou um espaço para continuar com a prática durante seu intercâmbio na Irlanda.


As mudanças na vida do Breno Rodrigues de Castro, 23 anos, começaram em fevereiro de 2018 quando ele mudou para Galway, na Irlanda. Ele conta que começou a jogar voleibol desde pequeno, durante a escola e que quando chegou na cidade começou a procurar um local para continuar com o esporte. “Eu pensava: deve ter um time aqui, algum lugar que eu possa jogar, foi aí que eu achei um time polonês, o PVC (Polish Voleibol Club)”.


Este time abriu as portas para Breno chegar no Galway Volleyball Club, o time da primeira divisão irlandesa que ele joga até hoje. “Como o time anterior não tinha jogadores o suficiente para a liga, e um dos rapazes também jogava nos dois lugares, o Coach (treinador) da equipe irlandesa me convidou para fazer um teste para o GVC, desde então eu estou no time”.

A adaptação com o time irlandês ocorreu sem problemas. Ele conta que a interação foi de forma natural e receptiva com toda a equipe. Breno fala que esse é um comportamento normal no meio do vôlei, mas que como ele já conhecia algumas pessoas do time anterior também ajudou na nova integração com o atual time. Já a prática do esporte foi bastante fluída para o jogador, “só tive que aprender alguns termos novos, como falava algumas coisas em inglês, mas isso é normal em qualquer área”.


Esta pequena dificuldade não virou empecilho na vida do jogador, ele se sentiu ainda mais motivado em aprender os termos e as novas palavras, por isso, ao final dos treinos e no seu tempo livre, ia para casa estudar o novo vocabulário. “Essa é a parte mais legal de morar fora do Brasil, você percebe que a vida não é só estudar e trabalhar, tem muitas outras coisas que você acrescenta na sua vida e na sua experiência”, conclui o jogador.


Para ele o esporte ajudou bastante na hora de desenrolar o idioma. “Na equipe estamos sempre conversando em inglês, são várias pessoas com sotaques diferentes, isso ajuda demais a evolução do inglês; eu entrei aqui no nível elementary em fevereiro e já estou indo para o advanced”, explica o jogador. Ele acrescenta que há diversas nacionalidades na equipe, como polonês, italiano, francês e irlandeses, é claro.


O Volêi passa a ser uma das diversas responsabilidades que o estudante tem no país, já que além do esporte ele também estuda e tem um trabalho fixo. Com o time na primeira divisão irlandesa ele compete normalmente a cada 15 dias, um jogo em Galway e o outro fora. E o esporte já começou a trazer as primeiras alegrias para Breno, o último jogo no dia 19 de Janeiro, o seu time conseguiu ganhar de uma equipe da qual eles haviam perdido em outro campeonato, isso mostra que o esforço vem mostrando resultado.


O esporte ainda não é remunerado, caso o GVC fique bem colocado ao final do campeonato ele pode evoluir para a Liga Premier, que é onde os times começam a receber pelos jogos, mas o estudante não pensa nisso agora, para ele o importante são as partidas atuais e como o grupo está se saindo na competição que está participando.


Hoje ele não pensa em seguir como jogador profissional, mas por muitos anos seguir a carreira era uma opção. “Quando eu era mais novo eu pensava em tentar o profissional, hoje eu não tenho mais físico para isso, também não tenho altura, se eu fosse um pouquinho mais alto eu tentava”.


Para praticar o esporte na Irlanda não é nada complexo, o time treina todas as terças e quintas em uma quadra alugada no Our Lady's College; cada jogador contribui com a quantia de Cinco Euros, para ajudar nas despesas. Breno explica que os valores são usados para muito além do aluguel da quadra, “no nosso caso, nós viajamos para jogar, vamos até Dublin para competir, isso gera um custo, além das bolas e dos materiais usados, é um valor muito pequeno se você pensar”.


Ele também faz sua parte para aumentar o número de jogadores, “sempre que eu conheço alguém que joga eu converso um pouco com a pessoa, vejo se ela entende o esporte, se tem um base, se praticava no Brasil, aí eu falo que tem um lugar legal para jogar, e se ela não quer fazer um teste, daí eu convido para ir até a quadra”, fala.


Agora, se você não entende nada sobre o esporte, mas está em Galway e quer começar a praticar, também há espaço. Às quartas outro time se junta no mesmo espaço, os iniciantes. De acordo com Breno, as classes são voltadas para quem não sabe nada do assunto, eles vão te ensinar desde o começo, mas a prática passa a ser mais para o exercício físico e não para competição.


Gostou da ideia? Quer participar do time e quem sabe competir igualzinho o Breno faz? Ou quem sabe começar a jogar por diversão? É sempre bom saber que as alternativas estão disponíveis, não é mesmo? Então não deixe esta oportunidade passar! Entre em contato ainda hoje com a NCI Intercâmbio e venha você também praticar sua paixão em terras estrangeiras!

Por Joyce Silva

#intercâmbio #irlanda #galway #nciintercambio #estudarfora #estudante #intercambista #GalwayVolleyballClub

Encontrou algum erro? Por favor contate: info@nciintercambio.com

© 2019 por NCI Intercâmbio.  Todos os direitos reservados a NCI Intercâmbio.  CRO 611045